Autor da Própria Saúde – Limão (parte1) [diabetes, hipertensão, câncer, colesterol, gastrite]





Cadastre-se em nossa newsletter e receba nossos vídeos e dicas de saúde em seu email.
E, ainda receba GARTUITAMENTE o E-book Farmácia na Quitanda.
Um presente para quem segue nosso canal!!

LIMÃO
Citrus limon / Citrus limonia

Seus usos populares são muitos, como o combate a gripes e resfriados por sua alta concentração de vitamina C.
Outros usos populares são o combate ao escorbuto, ao reumatismo e febres. É utilizado contra acidez estomacal, ácido úrico, varizes, hemorroidas, pedras nos rins, bronquites e dores de garganta. Como diurético, contra gota e contra reumatismo, como para a circulação. Para tosses, febres e problemas respiratórios.
Para varizes, circulação e problemas estomacais.
Existe uma cura popular feita com o limão, considerada muito útil para a circulação, gastrites e hipertensão. Começa-se tomando1 limão no primeiro dia, 2 no segundo e assim por diante até 10 limões. Depois retorna-se diminuindo até chegar a 1 limão.
Contra acnes, furúnculos e eczemas, costuma-se consumir uma semente limão partida ao meio todos os dias durante 7 dias. Para limpeza da pele e clareamento, é costumeiro utilizar 2 colheres de suco de limão misturado com mel, passando-se sobre a pele durante 20 minutos antes de dormir.
As furocumarinas fotossensibilizantes presentes em seu sumo, facilitam a ação dos raios UV, podendo causar sérias queimaduras de pele.
Pesquisas demonstram que os óleos essenciais da casca previnem diversos tipos de câncer. Reduzem o desenvolvimento dos tumores e causam a apoptose.
Os extratos da casca tem ação antioxidante, prevenindo envelhecimento, Alzheimer e Parkinson, além de ação anti-inflamatória.
No sistema cardio-vascular, o suco tem ação contra trombose, arteriosclerose, hipertensão, úlcera varicosa e hemorroidas.
No sistema nervoso, o óleo essencial teve efeito protetor do cérebro nos casos de convulsões e nos casos de doenças degenerativas. O suco fresco e o óleo essencial mostrou ação antidepressiva e ansiolítica.
A pectina do limão (parte branca da casca) e suas fibras reduzem a absorção de gorduras, reduzindo colesterol e triglicérides. Aumentam a saciedade e reduzem a glicose na corrente sanguínea. O suco reduz o colesterol e triglicerídeos , auxiliando no controle da obesidade.
As fibras alimentares da parte branca da casca previnem doenças gástricas, a obesidade, hemorroidas e câncer colo-retal. O extrato da casca e o suco fresco tem grande atividade gastro-protetora, combatendo a Helicobacter pylori, e aumentando a eficiência dos medicamentos contra úlcera.
Os extratos das cascas são antibióticos, combatendo bactérias e fungos. O óleo essencial apresentou excelente ação contra diversos tipos de fungos.
Protege o fígado contra intoxicações químicas. Extratos da casca controlam os níveis glicêmicos, permitindo seu uso na diabetes. Além de facilitar a cicatrização em caso de diabetes, aumentando a síntese de colágeno e o crescimento de novos tecidos.
No controle das acnes, o suco de limão se monstrou mais eficiente que os medicamentos convencionais.
Os extratos de limão tem a capacidade de aumentar o volume de urina, prevenindos cálculos renais, pois evitam as cristalizações de cálcio e reduzindo a concentração de oxalato, evitando sua cristalização e reduzindo as pedras.
Para os olhos, um colírio preparado com óleo essencial de limão foi eficiente na cicatrização de úlceras superficiais na córnea.

www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0731708509004816
www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14786419.2011.647019
www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0944711396800468
www.rhsm.usach.cl/ojs/index.php/blacpma/article/view/11
www.tandfonline.com/doi/abs/10.3109/13880209.2010.541924
www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13880200701214995
www.banglajol.info/bd/index.php/BPJ/article/view/12577/9134
www.tandfonline.com/doi/abs/10.3109/13880209.2015.1079724
link.springer.com/article/10.1007/s11011-016-9884-0
pharmacologyonline.silae.it/files/newsletter/2011/vol3/078.sharma.pdf
pubs.acs.org/doi/abs/10.1021/jf3032556
www.jstage.jst.go.jp/article/fsti9596t9798/4/1/4_1_29/_pdf
link.springer.com/article/10.1007/s00580-015-2088-x
pubs.acs.org/doi/pdf/10.1021/jf020121d
mejc.sums.ac.ir/index.php/mejc/article/view/51/41
www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/1480
revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/4851/3283
www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0009279710005776
www.ingentaconnect.com/content/ben/npj/2012/00000002/00000001/art00010
www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0308814609011716